Prof. José Manuel Fonseca
Dr. Leonardo Martins

"Big data" na Medicina

Prof. José Fonseca e Dr. Leonardo Martins

Todos os dias são acumuladas quantidades massivas de dados (constituindo o que normalmente de designa por ‘Big Data’) que podem ser utilizados com múltiplos propósitos na área da Medicina. O tratamento destes dados pode permitir dar uma resposta a diversas necessidades de pacientes, médicos, enfermeiros, investigadores, administradores de hospitais e de todos os envolvidos nesta área, que não estão a ser correspondidas atualmente.

Esta apresentação explora algumas possibilidades de como a análise da Big Data pode ser aproveitada para fazer a deteção de padrões em admissões hospitalares, melhorar a performance de um hospital através da otimização de recursos humanos e físicos (exames, medicamentos, etc) e melhorar a monitorização dos pacientes através da utilização de vários sensores. A utilização de Big Data pode levar à descoberta de novos medicamentos, ajudar na diminuição de erros na prescrição de medicamentos ou detetar casos de abuso de medicação. Estas aplicações podem levar a uma significativa redução de custos e a novas estratégias para a identificação de tendências e estratégias na área da saúde baseadas em dados socioeconómicos, demográficos e geográficos. Serão ainda apresentados alguns dos obstáculos que a aplicação de Big Data irá enfrentar nos próximos anos.

Finalmente, serão apresentados alguns casos específicos de aplicações de Big Data na medicina, nomeadamente na Medicina de Precisão, para ajudar os médicos a hiper-personalizar os tratamentos de determinados tipos de cancro ou ajudar a prevenir/adiar o desenvolvimento de diabetes e de doenças cardíacas, respiratórias através da aplicação de técnicas de Imagem Médica e de Aprendizagem Automática (Machine Learning).

The role of Nanotechnologies in the biomedical area

Dr. Lars Montelius

Director–General of the International Iberian Nanotechnology Laboratory since the 1st September 2014 | Professor in Nanotechnology at Lund University, Sweden | Founder of several Swedish companies working with nanotechnology. | President of The International Union for Vacuum Science, Technique and Applications www.iuvsta-us.org | Member of the EC Executive High Level Group (HLG) at DG NMPB | Board member and Working Group Chair of the The European initiative for sustainable development by Nanotechnologies and The European Technology Platform for Advanced Engineering Materials and Technologies

Nanotechnology is a Key Enabling Technology and as such it has applications in various sectors. For each sector, usually a certain adaption of the technology is needed in order to make it useful. Often, the utilization of Nanotechnology is as a building block that gives a certain essential advantage to a larger system. Hence, it is seldom that nanotechnology can work alone in order to meaningfully address a certain field of application.

In this talk I will review several major ways to employ nanotechnology in order to get essential advantages. One such major area where Nanotechnology plays an important role is in modification of surface or interface properties. Essentially such modifications add functionality to sensor or transducer surfaces allowing for instance certain bio-functionalities to be established at a given surface, creating lab-on-a chip systems. Another area is to act as an effective capturing element for non-wanted residues in eg. cleaning of wastewater. Sometimes, the nanotechnology concept is employed as the highly sensitive detectors of eg. bio-markers in body fluids. In these contexts, often the nanotechnology in itself, using the size effect due to the nanoscale, is responsible for the high sensitivity that can be achieved. In other areas, the result of the nanotechnology aspects gives rise to new tools that can be used for eg. teranostic applications.

Another area is to use Nanotechnology as a drug carrier that have certain interesting functionalities. Or as a contrast agent in X-ray investigations. Also, Nanotechnology can be used for developing new drugs. Or to create organs-on-chip platforms. Or to create connections to our sensory systems. Or to make platforms that will enable us to understand biological processes including development of light emitters for biological studies like Quantum Dots. Making things very simple one can summarize by saying that Nanotechnology is essential for surfaces, bio-sensors, analytical instruments, drugs, organs, spectroscopy, wearables, etc. In many cases, Nanotechnology is highly scalable since many of its functionalities can be created using top-down methods that has become very price-effective as a consequence of the digitalization of our society.

At INL, the International Nanotechnology Laboratory, in the biomedical field, we are primarily working within theranostics with a strong focus on well-being and healthy ageing. We have today a highly skilled multi-cultural workforce from more than 30 countries that work at INL. We have a pilot line for top-down fabrication of various kinds of electronic devices. And we have a very well equipped lab for microscopy and spectroscopy. These facilities are working as user facilities open to any users in the world. To conclude, Nanotechnology is highly interdisciplinary and a very interesting, rewarding and meaningful field to work in.

Da Ideia ao Produto - Uma Experiência Pessoal

Dr. Armin Moniri

Otorrinolaringologista Sueco, reconhecido internacionalmente pela invenção de 3 novos tratamentos patenteados na história de Medicina. | Criou a almofada e colchão Rest-Me para tratamento da roncopatia e apneia do sono e os dispositivos Moniri para tratamento de otite em crianças. | É professor das Universidades de Gotemburgo e Algarve, exercendo as suas atividades clínicas no grupo hospitalar HPA Saúde no Algarve.

O desenvolvimento de dispositivos médicos é um trabalho desafiante que envolve várias disciplinas, incluindo áreas técnicas, jurídicas e médicas. O trabalho implica uma clara definição de objetivos para poder levar a ideia até ao produto final. O percurso é por norma difícil e requer motivação, dedicação e tempo. Implica um estudo do problema a resolver, desenvolvimento do produto, testes clínicos, comunicação com diversas autoridades e proteção de dados. O trabalho envolve frustração, desilusão e crítica, mas com potencial alegria, satisfação e reconhecimento no fim do percurso.

O Prof. Dr. Armin Moniri partilha a sua experiência pessoal no desenvolvimento de 3 inovações patenteadas na área da Medicina durante os últimos 10 anos.

 

Cirurgia Robótica na Actualidade

Dr. José Manuel Novo de Matos

Ex-Presidente da Sociedade Portuguesa de Cirurgia Minimamente Invasiva | Ex-Coordenador da Unidade de Vídeo-Cirurgia e do Grupo de Estudo e Tratamento da Obesidade (GETO) do Hospital de São José | Professor de Patologia Cirúrgica e Cirurgia Laparoscópica 

A história da Cirurgia Robótica inicia-se nos anos 90 do século passado. Baseia-se em algo mais antigo e que começou nos anos 50: o computador. O sistema inicial “Zeus” sofreu uma competição paralela com o actualmente mais conhecido “Da Vinci” e apesar daquele ter na altura avanços em relação a este último, por razões comerciais foi este que se impôs. Desde então tem mantido o monopólio e a exclusividade da Cirurgia Robótica. Convém realçar que correctamente não se deve falar em robot cirúrgico mas sim em Telemanipulador assistido por computador.

Falaremos da evolução da cirurgia robótica, vantagens e desvantagens, análise de custo-benefício e da situação actual do “Da Vinci” e de novos telemanipuladores (robots cirúrgicos) emergentes. Poderemos observar algumas cirurgias realizadas pelo “Da Vinci” e finalizaremos com a futura vantagem desta nova tecnologia: a TELECIRURGIA.

The fascinating world of virtual patients in medical education

Oradora: Daniela Abreu (Instructional Designer)

Virtual patients enable a new didactic approach to immerse students in experiential learning and build competencies early in training.
Body Interact™ brings a new didactic approach to re-design med school curriculums and make medical training more patient-centered, clinical-oriented within a safe simulation environment, without overloading students with information. 

 
 

Sabe mais sobre o Body Interact, projectos associados e eventos em: